O destino de Shireen Baratheon em Game of Thrones é realmente uma tragédia grega?

Por Fernanda Sarate

Quem assistiu ao episódio A dança dos dragões, da quinta temporada de Game of Thrones, poderia ter descrito o destino de Shireen Baratheon como digno de uma tragédia grega. E, de fato, ele pode ser visto desta maneira. Confira no post a referência feita ao mito grego de Ifigênia.

Todo o fã de Game of Thrones e dos livros Crônicas de Gelo e Fogo sabe: as narrativas oferecem referências a diversas mitologias, como a nórdica, a celta e a grega.

Falar sobre essas referências renderia diversos posts. Assim, vamos falar hoje sobre uma das referências presentes em um dos episódios que mais chocaram os expectadores da série na última temporada: o destino de Shireen Baratheon. É possível relacionar facilmente o episódio ao mito grego de Ifigênia, presente na tragédia Ifigênia em Áulis.

Aviso: este post contém muitos spoilers.

Ifigênia em Áulis

Iphigenia_at_Aulis-David

Na pintura “The Anger of Achilles”, de Jacques-Louis David, vemos Aquiles e Clitemnestra (mãe da jovem) tentando salvar Ifigênia, porém o pai, Agamenon, está irredutível.

 

Na tragédia escrita por Eurípedes, as embarcações dos gregos estão ancoradas em Áulis, sem poder seguir viagem para Troia. Conforme o costume dos gregos, um adivinho é consultado e profetiza que, para que os guerreiros possam seguir viagem, Agamenon, rei e comandante do exército, deverá sacrificar sua filha, Ifigênia, à deusa Ártemis. Inicialmente, Agamenon mostra-se em conflito, seu desejo como pai é o de não sacrificar a sua filha, porém, o desejo de guerreiro, que acaba falando mais alto, é o da vitória, é o de liderar um exército que dominará Troia e o reconhecerá como o líder que trouxe essa vitória aos gregos. Assim, ele decide sacrificar sua filha. Ifigênia implora ao pai que mude de ideia, porém, quando ela percebe que não haverá outro destino para ela, senão a morte, ela decide oferecer-se voluntariamente em sacrifício. Nesta versão de Eurípedes, Ifigênia desaparece milagrosamente e, em seu lugar surge uma corsa para ser imolada.

A dança dos dragões

game_of_thrones_shereen

Shireen Baratheon caminhando para o seu sacrifício.

Neste episódio de Game of Thrones, Stannis Baratheon é avisado pela feiticeira Melisandre que, para que a tropa que ele lidera possa avançar e não morrer congelada e para ajudá-lo a conquistar o Trono de Ferro, ele terá que sacrificar sua filha Shireen para o Senhor da Luz. Depois de ponderar, ele acaba concordando com o sacrifício da filha, que será queimada viva. Stannis protagoniza uma cena de diálogo bastante dúbio com sua filha, falando sobre destino e escolhas, lembrando muito o diálogo que Agamenon tem com Ifigênia. Entretanto, ao contrário da tragédia de Eurípedes, Shireen não é poupada e recorre ao bom senso do pai até seu último instante. Com o sacrifício, o que sobrou de seu exército chega em Winterfell, porém não alcança a esperada vitória.

As referências não desmerecem as obras, elas acrescentam camadas que as tornam mais interessantes. Game of Thrones é bem mais do que mortes e cenas de lutas e de nudez, é uma obra repleta de referências. Você conhece mais alguma? Compartilhe nos comentários!

 

 

Anúncios

Um comentário sobre “O destino de Shireen Baratheon em Game of Thrones é realmente uma tragédia grega?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s