Curso Sangue e Cinema: Efeitos Especiais no Cinema Independente

Por Fernanda Sarate

Saiba como foi o curso que fizemos com a equipe do Cinelab e confira algumas dicas de como produzir efeitos criativos tendo baixo orçamento!

Todo o fã da sétima arte já deve ter se questionado ou sentido curiosidade sobre o modo como os efeitos especiais são produzidos. Claro, nas grandes produções com grandes orçamentos, é fácil imaginar que haverá técnicos e técnicas super modernas para que “a mágica aconteça”. Mas, e no cinema independente?

Curso Sangue e Cinema: Efeitos Especiais no Cinema Independente

curso_armando_kapel_raphael

Armando Fonseca, Kapel Furman e Raphael Borghi

 

No último final de semana, a nossa equipe sanou um pouco dessa curiosidade, participando do curso Sangue e Cinema: Efeitos Especiais no Cinema Independente, ministrado por Kapel Furman, Armando Fonseca e Raphael Borghi, durante o Fantaspoa. O trio tem bastante experiência com filmes de ação e de terror e com o chamado cinema de guerrilha (cinema independente que propõe linguagens e temáticas inovadoras, normalmente associadas ao gênero fantástico). Além disso, eles comandam o Cinelab, do Universal Channel – programa que mostra como realizar efeitos especiais com poucos recursos e muita criatividade.

No curso, eles deram algumas dicas de como produzir, de modo geral, cinema de forma independente. Kapel, Armando e Raphael foram enfáticos em reforçar que, para produzir de modo independente e com baixo orçamento, o segredo é que toda a equipe seja curinga, que todos tenham, ao menos, uma noção sobre equipamento cinematográfico e que todos os profissionais se ajudem.

Outra dica foi que, embora muitas vezes se tenha ideias incríveis na cabeça, é necessário se desprender do que é impossível, naquele momento ou contexto, de ser executado.

Para produzir filmes com qualquer orçamento, é necessário muito planejamento. O set e as diárias de filmagem são caros, então lá não é lugar de tomar decisões que deveriam ter sido pensadas na pré-produção. Cada vez mais, cinema é eficiência.

Em termos de ferramentas para auxiliar nessa etapa, eles recomendaram o software gratuito CELTX, que atende muito bem às necessidades de formatação de roteiros para filmes, peças de teatro, comerciais, etc. Ele possibilita a organização do trabalho de produção, gerando relatórios de locações, objetos necessários para cada cena, calendário de gravações, ficha de personagens, entre outras funcionalidades.

Ok, mas e os efeitos especiais?

Algumas coisas que aprendemos no curso:

–  A criatividade, muitas vezes, é mais importante que o orçamento. Um exemplo apresentado foi a necessidade de Kapel produzir uma cena na qual o personagem receberia pregos nos pés e, à medida que ele andasse, eles teriam, claro, que ir “entrando na pele”. Com orçamento bastante reduzido, Kapel encontrou uma solução barata e eficiente: ele comprou guarda-chuvas retráteis por R$ 5,00 na 25 de Março e utilizei seus cabos para compor as peças da foto abaixo, que produzem o efeito desejado na tela.

pregos_retrateis

Com criatividade, guarda-chuvas da 25 de março se transformam em pregos retráteis

Outro exemplo, é este facão que possui um corte em meia-lua e que, quando aproximado da pele, produz o efeito de cortá-la!

facao

Um corte simples no facão e ele pode “cortar” tudo e todos nos filmes!

cabecas

Aprendendo sobre as diferenças entre o silicone e o látex. Mas, peraí, até eles fazem photobombing?

– Um detalhe sobre o silicone: ele é realmente muito pesado! Ficamos imaginando se esse não poderia ser um dos motivos para os zumbis terem movimentos tão restritos nos filmes mais antigos!

sangue_e_cinema

O braço assassino, ops, a prótese, foi feita com silicone. Ele é super pesado – e legal! O que dizer desse molde de cabeça? 🙂

– Dar tiros no cinema é algo caro! Cada tiro de festim custa, em média, R$ 100,00.

– Outro material utilizado para fazer moldes é o alginato. Para fazer o molde de uma cabeça, por exemplo, é necessário que a mesma seja coberta muito rapidamente antes de o produto começar a secar: se tem em torno de um minuto. Porém, o trio recomenda que o modelo fique parado com o molde por mais um menos uma hora!

selfie_cabeca2

Outra coisa que aprendemos no curso: nunca pedir para uma cabeça cenográfica tirar uma selfie!

Para saber mais, recomendamos os episódios do Cinelab, primeira produção nacional do Universal, e que, devido aos bons resultados, já garantiu sua segunda temporada. Lá o trio mostra, por exemplo, como fazer uma “minhoca radioativa” ou um “alien explosivo”. Os programas são curtinhos, mas muito divertidos, recomendamos!

 

Anúncios

5 comentários sobre “Curso Sangue e Cinema: Efeitos Especiais no Cinema Independente

  1. Hey, eu amo assistir filmes, mas sei quase nada (ou nada) sobre a produção deles, a não ser, um pouco de LOTR, que AMO e já vi um pouco dos extras, que por sinal é incrível e recomendo. Achei o máximo a ideia do guardo chuva e do facão \o\ , coisas simples que fazer a diferença. Também seria ótimo ter na equipe aquelas pessos mega boas em maquiagem, tem cada maquiagem realista e apavorante ❤ haha bjs

    Curtido por 1 pessoa

  2. Pingback: Dois filmes do Fantaspoa: Apagados e Prisioneiro X | Para ler e ver

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s